Comunidade

ComunidadeUma Comunidade Apaixonada

Os sintomas são claros. Bastam alguns acordes do hino da escola para a pele apresentar arrepios por todo o corpo; é só levantar o pavilhão Vermelho e Branco para que as lágrimas escorram imediatamente dos olhos; ver o Tigre entrando no setor 1 provoca uma arritmia automática, seguida de um frio na barriga, mão geladas e uma vontade incontrolável de sorrir e cantar. Se você apresenta esses sinais, é bom saber que eles não têm cura. Você é um dos milhares de apaixonados pela Porto da Pedra, orgulhosos por sentirem cada um desses sinais de amor e devoção.

E o que não faltam são apaixonados pelo Tigre. Gente que vive pela escola, que dá amor e suor pelo pavilhão de São Gonçalo, cada um da sua maneira. Com sua histórias, suas alegrias e seu jeito peculiar e especial de amar.

 

Dona Ilidia Dona Ilídia: “Minha vida é desfilar!”

“Sou completamente apaixonada pela Porto da Pedra. Essa escola é minha vida e desfilar é uma das maiores emoções que eu tenho todo ano”, conta, emocionada, Dona Ilídia, de 87 anos, a baiana mais antiga da agremiação.