Baianas

Amor ao pavilhão. Este é o sentimento que melhor define as baianas da Porto da Pedra. Coordenadas pela presidenta Sandra Trindade, nossas 100 mães do samba são sinônimo de luta, garra, vontade e energia.

 

Curiosidades:

Baianas do Tigre no carnaval 2007: um mar branco, cinza e preto

No carnaval de 2007, com o enredo “Preto e Branco a Cores”, do carnavalesco Milton Cunha, a ala das baianas da Porto da Pedra foi sinônimo de ousadia e pioneirismo. O desfile da agremiação bateu o recorde em número de baianas. No total, foram 250, mais do dobro que as habituais alas tradicionais. Para dar conta de tanta ousadia, a escola de São Gonçalo recrutou componentes até em outras agremiações. Foi a primeira vez que senhoras de saias rodadas ocuparam um setor inteiro de uma escola. Elas ficaram entre o abre-alas e a segunda alegoria. Foram divididas em três alas com fantasias de cores diferentes: branco, que representa a paz; cinza, a transição; e preto, o Apartheid na África do Sul, cuja luta para erradicá-lo foi tema da escola. Os ensaios foram em ritmo intenso e acelerado. Coordenadas por Sandra trindade, as 250 senhoras realizavam apresentações técnicas semanalmente. Tudo para preencher a Sapucaí com um mar de arte, dedicação e, é claro, AMOR!